segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

A Terra está ferida




Recentemente apresentei um programa Prosa de Mulher onde as mulheres convidadas e eu falamos sobre os diversos problemas ambientais que atingem o nosso planeta nos dias atuais. Uma das mulheres que participou disse a seguinte frase-" a Terra está ferida"- referindo-se às consequências danosas desse desequilíbrio cada vez maior provocado pelo homem contra a natureza.

Ora, todos sabemos que para cada ação, existe uma reação, conforme nos ensinou Newton. Portanto, se destruímos aquela que tudo nos dá, lógico que ficaremos sem nada. Se destruímos a fonte de nossa vida, óbvio que deixaremos de existir.

Fico impressionada de ver a burrice do homem que todo dia mata um pouco a sua galinha dos ovos de ouro. Ele polui os rios, destrói as montanhas, explode e explora os subsolos, envenena os solos, suja o ar entre outras atitudes insanas e faz tudo isso em nome do desenvolvimento econômico, que por sua vez é alimentado pelo consumo exarcebado e pelo falso prazer do ter e aparecer.

Por tudo isso e muito mais, gostaria de sugerir a você que se preocupa com as questões ambientais que afligem o planeta e comprometem a vida na Terra, que leia a reportagem abaixo. Acho que todos nós deveríamos saber que também somos protagonistas desse processo de destruição. Todos nós temos nossa cota de responsabilidade. Por tudo isso podemos e devemos ajudar a reverter esses danos através de ações simples como o consumo consciente, a reciclagem, as denúncias de crimes ambientais e o enfrentamento do polêmico debate sobre a importãncia do controle da natalidade, assunto que ainda é um tabu em nossa sociedade.

Uma boa leitura e uma ótima reflexão para você:

Só estagnação econômica pode reduzir aquecimento global, diz estudo

BBCBrasil

Um estudo de uma entidade britânica, divulgado nesta segunda-feira, defende que a única forma de controlar o aquecimento global é que os países ricos interrompam seu crescimento econômico.

A tese defendida pela Fundação Nova Economia (NEF, na sigla em inglês) é de que, mesmo com expansão econômica reduzida, não será possível atingir a meta de aquecimento global abaixo dos 2º C, como almejado pela comunidade internacional.

No relatório Crescimento não é possível: porque as nações ricas precisam de uma nova direção econômica, Andrew Simms, diretor da NEF, explica que “o crescimento econômico incessante está consumindo a biosfera do planeta além de seus limites”.

Em sua visão, o custo dessa expansão aparece no “comprometimento da segurança alimentar global, nas mudanças drásticas do clima, na instabilidade econômica e nas ameaças ao bem-estar social”.

Por isso, o mundo precisa de uma nova economia que respeite o orçamento ambiental, diz o estudo.

“Não há um banco central global do meio ambiente para nos salvar se formos à falência ecológica”, conclui.

Gases causadores do efeito estufa

O relatório da NEF explica que, segundo a Nasa, a agência espacial americana, a concentração máxima de gás carbônico na atmosfera para manter o aquecimento global dentro dos 2º C deveria ser de 350 ppm (partículas por milhão).

Para atingir essa meta até 2050, porém, a humanidade teria de reduzir sua intensidade de carbono na economia (quantidade de CO2 necessária para gerar expansão econômica) em 95%.

Não há um banco central global do meio ambiente para nos salvar se formos à falência ecológica

Andrew Simms, diretor da NEF

O problema é que a intensidade vem aumentando ao longo desta década.

Para reverter essa tendência, o estudo destaca que seria necessário um esforço político muito superior ao apresentado durante a Conferência de Mudança Climática em Copenhague, em dezembro do ano passado.

Justamente por isso o estudo classifica essa drástica redução na intensidade de carbono na economia como “sem precedente e, provavelmente, impossível”, reforçando a defesa pela estagnação econômica.

Alternativas inviáveis

O estudo também confronta a posição de muitos líderes globais de que o uso de biocombustíveis é uma opção viável para controlar o aquecimento global.

O primeiro problema é que esses combustíveis consomem uma área agrícola essencial para a produção de alimentos.

Se o Reino Unido, por exemplo, quisesse substituir seu consumo de petróleo por biocombustíveis à base de soja ou milho, precisaria de 36 milhões de hectares, ou seja, uma área 650% superior às terras aráveis do país, diz o estudo.

No caso do etanol produzido à base de cana-de-açúcar, o relatório admite que é possível produzir o combustível com o bagaço da cana, mantendo o suco voltado para a produção de alimentos.

Mas o etanol à base do bagaço “ainda precisa de substancial pesquisa e ainda não é comercialmente viável”, diz o estudo.

Com base em todas as possíveis alternativas analisadas pela NEF, o estudo concluiu que não pode haver controle do aquecimento global sem controle do crescimento econômico.

“Isso significa que, para permitir um crescimento econômico em países com baixa renda per capita (...), será necessária uma redução na expansão econômica dos países ricos”, conclui o relatório.

Fonte( BBCbrasil)

3 comentários:

Jorge Purgly disse...

Oi Débora, muito legal este artigo!
É bastante oportuno e esclarecedor e ao mesmo tempo chama a atenção para o fato de estarmos todos nesta nave chamada Planeta Terra.
Recentemente assisti ao Filme o Avatar e gostei bastante. Você já assistiu?
Débora, você deve ter notado também que a maioria dos leitores sente alguma timidez em fazer sugestões de artigos sobre o que escrever ou que temas abordar.
Você já sentiu este dilema?
Gostaria de pedir sua opinião Débora.
Tenho uma forte ligação e admiração pelo estado de Minas Gerais que é pioneiro no Brasil em energia solar há mais de 30 anos e assim, me sinto confiante em te perguntar.
Estou escrevendo sobre os 5S no meu blog http://mastersuno.blogspot.com que você já conhece.
Acontece que coloquei recentemente em todos os meus blogs uma ferramenta chamada PostRank que dá notas automaticamente as matérias abordadas segundo critérios de interesse, visitação, comentários, etc.
Pois, é...
Em todos os meus blogs meu PostRank é nota dez. Entretanto, neste cuja proposta é de ser um blog para melhorar o ambiente minha nota é menor que sete.
Quero mudar de matéria e estou sem idéia sobre o que escrever neste blog que seja de maior interesse dos leitores. Você pode, por favor me dar uma sugestão?
Meu e-mail é jorgepurgly@gmail.com
Muito obrigado! Sua opinião de experiente formadora de opinião é muito importante para mim. O que eu posso fazer para melhorar?
Um forte abraço,
Jorge
meu blog principal em
http://purgly.blogspot.com
minha página principal em
http://xeesm.com/JorgePurgly

Cláudio J. Gontijo disse...

Olá Débora.
O aquecimento global e a emissão de gases que ampliam o fenômeno é um assunto pertinente, do qual não poderemos fugir.
Mas há esperanças. Acredito numa futura redução do lucro, como alternativa para a preservação do que manterá o planeta em equilíbrio. Inclusive os grandes empreendedores e seus filhos.

Felicidades em sua jornada !

blogdadeborahrajao disse...

Oi,Cláudio, tudo bem?

Obrigada pela visita e por ter se tornado seguidor do meu blog.
È muito bom saber que tenho leitores como você.

Também tenho esperança de que todos os humanos que habitam este planeta Terra um dia se conscientizem de que o dinheiro, o lucro e a gana não podem sobrepor a vida.

Um grande abraço.
Déborah