segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Rodin e Chagall de graça: eu indico!

Foto que tirei da escultura Le Trois Ombres( As três sombras) de August Rodin

Nesse domingo fui conhecer a Casa Fiat de Cultura, que fica na Rua Jornalista Djalma Andrade, 1250, no bairro Belvedere, próximo ao BH Shopping. Lá se encontram em cartaz duas exposições imperdíveis:

Rodin - Do ateliê ao museu, que apresenta pela primeira vez no Brasil o acervo fotográfico do artista frânces , que revela a forma como foram criadas suas esculturas além de algumas esculturas desse gênio e o Mundo Mágico de Chagall-O sonho e a vida de Marc Chagall que apresenta mais de 300 obras desse outro grande artista francês.

Vale a pena conferir as duas mostras. A entrada é gratuita e a Casa Fíat de Cultura funciona de: Segunda a Sexta de 8h às 18h. As exposições ficam abertas ao público de terça a sexta de 10h às 21h e Sábado, Domingo e Feriados de 14h às 21h.

Amei tudo que vi. As esculturas de Rodin emocionam quem as contempla e aprecia. São de arrepiar, literalmente. As fotografias são muito legais também. Olhando para elas conseguimos sentir a alma de Rodin e sua arte.Também a obra de Marc Chagall me encantou. Se tiver uma oportunidade, não deixe de visitar as duas exposições. Com certeza, você vai sair de lá melhor do que entrou.

Saiba mais sobre :

RODIN- DO ATELIÊ AO MUSEU

Visionário, o escultor parisiense Auguste Rodin (1840-1917), já na segunda metade do século XIX, contratava fotógrafos para que registrassem imagens de seu trabalho diário no ateliê. Fascinado pela fotografia, técnica que nascera apenas um ano antes do artista, Rodin reconhecia a importância da divulgação, na imprensa, de suas esculturas. Revelava, desse modo, certo desejo de controle do olhar dos espectadores sobre sua obra, assim como a vontade de destacar o que considerava mais importante a ser apreciado.

O acervo com tais imagens fotográficas, que revelam a intimidade de Rodin ao criar suas consagradas esculturas, estará pela primeira vez à disposição do público brasileiro, de 13 de agosto a 13 de outubro, na Casa Fiat de Cultura, em Belo Horizonte (MG), e de 27 de outubro a 13 de dezembro, no Masp, em São Paulo (SP). Na mostra Rodin: do Ateliê ao Museu - Fotografias e Esculturas, serão apresentadas 194 fotografias originais que retratam o processo criativo do artista francês, em seu ateliê, de 1880 a 1917.

Além das fotografias, 22 esculturas de bronze e mármore complementam a exposição, que tem como curadores Dominique Viéville, diretor do Museu Rodin, e Hélène Pinet, responsável pelo setor de fotografia do museu
A mostra conta com a presença da monumental escultura Les Trois ombres [As Três sombras], instalada no jardim do Museu Rodin, em Paris, de onde foi retirada para, pela primeira vez, participar de uma exposição fora da capital francesa. Também estarão expostas a versão de L’Éternel Printemps [A Eterna primavera], bronze concebido em 1886, e a escultura Les Bénédictions [As Bênçãos], uma de suas mais bonitas peças em mármore feita entre 1896 e 1911, nunca antes expostas fora do Museu.

O SONHO E A VIDA DE MARC CHAGALL

A magia e a intensidade das cores de Marc Chagall (1887-1985), pintor bielorruso que se fixou em solo francês, chegam ao país em celebração ao Ano da França no Brasil. De 4 de agosto a 4 de outubro, a Casa Fiat de Cultura, sediada em Belo Horizonte (MG), realiza a exposição O Mundo Mágico de Marc Chagall - O Sonho e a Vida, sob curadoria do museólogo Fabio Magalhães. De Minas, a mostra segue para o Museu Nacional de Belas Artes, no Rio de Janeiro (RJ), onde permanecerá aberta ao público de 15 de outubro a 6 de dezembro.

Em Belo Horizonte, estão sendo apresentadas mais de 300 obras de Chagall, entre pinturas, guaches, esculturas e gravuras. Destaque para as séries completas de gravuras como La Bible [A Bíblia], Daphnis et Chloé [Dafne e Cloé] e Les Âmes mortes [As Almas mortas], reunidas pela primeira vez no Brasil, assim como a obra Salon de coiffure (oncle Zussy) [Salão de cabeleireiro (tio Zussy)], guache e óleo sobre cartão de 1914, que pertence à Galeria Tretyakov, na Rússia.

Se quiser saber mais sobre o Casa Fíat de Cultura, acesse:

http://www.casafiatdecultura.com.br/imprensa/release.html

E no site acima você vai ter todas a informações também sobre o transporte gratuito que é oferecido para as pessoas que querem visitar as exposições e não têm carro.Um micro-ônibus sai da praça da Liberdade três vezes ao dia levando as pessoas.

Vale a pena conhecer a Casa Fíat de Cultura. Tenho certeza que você vai adorar e se encantar pelas obras desses artistas gênios da humanidade.

É isso aí.No mais, boa cultura e divertimento para você!

sábado, 29 de agosto de 2009

Prosa de mulher aborda a ressocialização de mulheres detentas


Neste sábado, o programa Prosa de Mulher, que apresento na Rádio Inconfidência AM880, teve como tema Ressocialização de muheres em situação de privação de liberdade.

Participaram do programa as seguintes convidadas:.

Maria da Conceição Viegas, assistente social há 20 anos , responsável pelo setor de bolsa e financiamento do Instituto Metodista Izabela Hendrix.

Delma de Oliveira, pedagoga do Complexo Penitenciário Feminino Estevão Pinto. Trabalha no acompanhamento das detentas.

O Prosa de Mulher abordou, entre outros assuntos, a parceria que o Izabela Hendrix possui com a Secretaria de Estado de Defesa Social de Minas Gerais. A iniciativa possibita que mulheres em situação de privação de liberdade possam fazer curso superior na instituição, gratuitamente, através da concessão de bolsas.

Quero agradecer todas as participantes!

Foi ótimo tê-las comigo no Prosa de Mulher!

Veja agora os bastidores do programa:




Delma de Oliveira-Pedagoga da Penitenciária Feminina Estevão Pinto

Maria da Conceição Viegas-Assistente Social do Instituto Metodista Isabela Hendrix

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Gripe Suína: demora em exames ou mesmo a falta desses procedimentos pode esconder os reais números da doença.


Eu estava conversando com uma conhecida minha nesta semana e ela me disse que foi vítima da gripe suína devido aos graves sintomas da doença que apresentou depois de uma viagem que fez a Juiz de Fora, onde participou de um evento com centenas de pessoas.

Segundo ela, os sintomas que apresentou eram idênticos aos que são divulgados pelos órgãos de saúde competentes e pela imprensa em geral.

Ela me disse: -acho que tive gripe suína mas nunca vou ter certeza pois não fiz nenhum exame para checar. Ela também disse acreditar que os números da doença podem ser maiores uma vez que os exames não estão sendo feitos em todas as pessoas que apresentam os sintomas. Apenas os casos mais críticos são checados.

O que essa conhecida me disse pode ser realmente confirmado através de uma reportagem divulgada pelo G1 nesta sexta-feira,que fala justamente sobre a falta de infra-estrutura para a realização de exames da gripe suína em nosso país. Leia alguns trechos da informação:

Demora em resultados dos exames da nova gripe pode esconder total de mortes

Exames podem demorar 30 dias para ficarem prontos.

Nem todos pacientes com sintomas são indicados para exames.
O acúmulo de pedidos de exames para diagnosticar a nova gripe está provocando uma espera que pode chegar a 30 dias.

Os exames começaram a ser feitos em três laboratórios de referência do Ministério da Saúde, que ficam em São Paulo, no Rio de Janeiro e no Pará. Como eles estão sobrecarregados, técnicos de laboratórios no Paraná e no Rio Grande do Sul foram treinados para também realizar estes testes.

Mesmo assim, segundo especialistas, os números de casos de gripe suína não são atualizados na velocidade adequada para o planejamento das ações necessárias no combate à doença.

E leia também:


Minas confirma 14 mortes em decorrência de gripe suína

Quatorze mortes em decorrência da Influenza A (H1N1), também conhecida como gripe suína, foram confirmadas pela Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais na tarde de quarta-feira, dia 26. O Estado passou a contabilizar os óbitos ocorridos em Olinda (PE) e Campinas (SP).

Os outros casos confirmados pela SES são o de uma grávida, de 26 anos, de Belo Horizonte; uma mulher, de 50 anos, de Coromandel; uma grávida, de 22 anos, de Barroso; uma mulher, de 25 anos, de Betim; uma mulher, de 43 anos, de Pouso Alegre, um idoso, de 62 anos, de Ipaba, uma mulher, de 27 anos de Viçosa; um homem, de 40 anos, e uma mulher, de 26, ambos de Uberlândia; um homem, de 48 anos, de Belo Horizonte; um homem, de 34 anos, de Ituiutaba e um outro homem, de 32 anos, de Nova Lima.

Sete casos que estavam em investigação foram descartados por meio de exames laboratoriais. Outros 62 óbitos estão sendo investigados. No total, Minas tem 664 casos suspeitos da doença, 239 confirmados e 365 descartados.

Capital

Nesta quarta a Secretaria Municipal de Saúde confirmou mais um caso de gripe suína em Belo Horizonte. Um homem de 58 anos teve diagnóstico confirmado por meio de exames laboratoriais.

A Secretaria investiga se ele teve contato com pessoas infectadas pela doença. A capital mineira tem 133 casos confirmados da nova gripe, 1.297 suspeitos e 291 descartados.

Hospital vai investigar atendimento prestado à grávida que morreu com gripe suína em BH

O Hospital Mater Dei informou, por meio de nota divulgada na tarde desta quarta-feira (26), que vai investigar o atendimento prestado à grávida de 26 anos que morreu no domingo (23) com Influenza A (H1N1), também conhecida como gripe suína. Segundo o hospital, uma comissão de sindicância interna integrada por equipe médica multidisciplinar vai apurar e analisar todo o histórico envolvendo a paciente.

O Mater Dei afirma que durante os 29 dias em que a paciente permaneceu internada, no período de 26 de julho a 23 de agosto, a família não formalizou qualquer tipo de reclamação ou descontentamento com relação ao atendimento prestado e que os questionamentos envolvendo o corpo clínico só chegaram ao conhecimento do hospital por meio da imprensa.

Ainda de acordo com a nota, o atendimento em pronto-socorro foi feito pela equipe médica em caráter extraordinário e, no momento em que foi detectada a necessidade de internação, essa medida foi prontamente adotada.

Dois dias após a internação, a paciente apresentou piora no quadro de saúde, sendo transferida para o Centro de Tratamento Intensivo (CTI), onde os médicos fizeram o parto. O bebê - um menino - nasceu com 38 semanas de gestação (o normal é de 37 a 40 semanas), sem sintomas da gripe suína, e já está em casa.
O hospital ressaltou que os quadros de infecção pelo vírus H1N1 têm demonstrado uma alta letalidade entre as gestantes e que todos os modernos recursos terapêuticos existentes e possíveis foram empregados para tentar salvar a paciente. A morte da jovem foi a primeira registrada em decorrência da doença em Belo Horizonte.


Brasil tem maior número de mortes por gripe suína do mundo, diz Ministério da Saúde

O Ministério da Saúde informou, em um boletim divulgado nesta quarta-feira (26), que o Brasil passou a ter o maior número de mortes por gripe suína no mundo. São 557 mortes até agora contra 522 nos Estados Unidos, país que ocupava até então, o primeiro lugar em número de óbitos de pacientes infectados pelo H1N1.

No ranking de taxa de mortalidade, no entanto, o Brasil ocupa a sétima posição, com 0,29 mortes por grupo de cem mil habitantes. O primeiro lugar continua com a Argentina, com mortalidade de 1,08, seguida pelo Chile, com o índice de 0,75. Os Estados Unidos aparecem em 13º lugar, com mortalidade de 0,16.

Na mesma nota, o Ministério da Saúde informa ainda que 83,5% dos casos de gripe atendidos em hospitais do país são de Influenza A (H1N1). Entre 25 de abril e 22 de agosto deste ano, 6.100 dos 30.854 casos graves tiveram confirmação laboratorial para a doença. Um total de 1.980 mulheres em idade fértil (15 a 49 anos) tiveram resultado positivo para o novo vírus. Destas, 480 eram gestantes. Entre as grávidas, 58 morreram.

O acúmulo de pedidos de exames para diagnosticar a nova gripe está provocando uma espera que pode chegar a 30 dias.

Os exames começaram a ser feitos em três laboratórios de referência do Ministério da Saúde, que ficam em São Paulo, no Rio de Janeiro e no Pará. Como eles estão sobrecarregados, técnicos de laboratórios no Paraná e no Rio Grande do Sul foram treinados para também realizar estes testes.

Mesmo assim, segundo especialistas, os números de casos de gripe suína não são atualizados na velocidade adequada para o planejamento das ações necessárias no combate à doença.

Fontes: G1,Folha e Uai.

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Cansei de factóides.

Depois de vários dias vendo e lendo na primeira página dos sites da considerada grande imprensa brasileira matérias onde a “atual ex-Secretária da Receita Federal” Lina Vieira era colocada como uma santa e vítima de interesses poderosos do governo Lula, finalmente hoje, quinta-feira, 27 de agosto de 2008, a Folha de São Paulo, o G1 entre outros sites mudaram "um pouco" suas manchetes. Considero esses factóides que vêm sendo criados todos os dias pela grande mídia, um desrespeito à inteligência e capacidade crítica dos leitores e só servem, na minha modesta opinião, para derrubar ainda mais a audiência desses veículos, que, cada vez mais, perdem, também, a credibilidade.

Eles usam e abusam do poder que consideram ter, criam demandas falsas, factóides para denegrir a imagem do governo Lula numa guerra midiática sem precedentes que tenta antecipar de forma vergonhosa, na minha modesta opinião, o processo eleitoral de 2010.

Mas, os donos dessas mídias se esquecem que hoje existe a blogosfera, recheada de sites alternativos comandados por cidadãos que querem um Brasil mais justo para todos e que fazem um contraponto super interessante com a chamada grande imprensa. Esses sites e blogs são independentes e a maioria não tem vínculo com os interesses dos poderosos da elite brasileira que querem a qualquer curso voltar ao poder.

Essa mesma elite que sempre dominou o Brasil e não se conforma em ver o sucesso do Governo Lula que conta com o apoio da maioria da população brasileira, haja vista todas as pesquisas que vêm sendo realizadas no país. O atual governo conta, principalmente, com o apoio daqueles que sempre estiveram à margem da sociedade recebendo migalhas dos poderosos e que agora conseguem ver a luz no fim do túnel a partir de um governo de esquerda e que tem realmente construído políticas públicas voltadas para os mais desfavorecidos.

Voltando aos factóides, o interessante de tudo isso é que os “grandes” sites da imprensa brasileira mudaram seus discursos e suas manchetes a partir de hoje, ou seja, pararam de colocar a Lina Vieira como santa e vítima do governo Lula, coincidentemente, quando veio à tona na blogosfera, uma entrevista feita pela jornalista Mônica Waldvogel no programa Entre Aspas dessa terça-feira, dia 25, que ela apresenta pela Globo CNN.

No programa ela fez uma abertura totalmente tendenciosa, manipuladora e passou pela vergonha de ver suas falsas e antecipadas conclusões sobre o caso Lina Vieira caírem por terra e serem derrubadas uma a uma pelos participantes do debate, entre eles o próprio ex-secretário da Receita Federal do governo FHC, Everardo Maciel.
Assista ao programa e tire suas próprias conclusões:



Leia também, abaixo, o texto do jornalista Luis Nassif, publicado em seu blog, sobre o assunto:

O comentário inicial lido por Mônica Waldvogel é vergonhoso, antijornalístico, desonesto, porque desmentido ao longo de todo o programa pelos três entrevistados convidados. A Globonews perdeu o rumo.

Os três convidados são unânimes em afirmar que politização ocorreu na fase de Lina Vieira, não agora. Mônica atropela as conclusões da mesa redonda, desrespeita os telespectadores ao antecipar conclusões falsas. Principalmente sabendo-se que a abertura sempre é feita após o programa, com base nas conclusões levantadas.

Paulo Antenor, presidente do SindiReceita, sindicato dos Analistas-Tributários da Receita Federal, denuncia o aparelhamento da Receita… por Lina. Mostra que o pedido de demissão coletiva dos antigos superintendentes foi apenas uma antecipação para demissões que ocorreriam. O advogado tributarista nega crise na Receita. Disse que está mais preocupado com as taxas de juros dos bancos e temas mais relevantes.

Mônica tenta se socorrer do ex-Secretário da Receita Everardo Maciel, da gestão FHC, pedindo que confirme a politização. Everardo diz que a politização ocorreu com Lina e que agora não há ingerência política, porque é atribuição do Ministro definir o Secretário.

Depois disso tudo, Mônica volta ao papo de que Mantega estaria pressionando para não apertar os grandes contribuintes. Os entrevistados negam. Everardo mostra que esse foco nos grandes contribuintes começou em sua gestão. Mônica diz que houve aumento na arrecadação dos grandes contribuintes na gestão Lina. Everardo desmonta com números.

Mônica vem com a história da opção do regime de caixa pela Petrobras foi manipulação. Everardo é incisivo: a Petrobras está certa. O factóide criado foi para justificar a queda da arrecadação na gestão Lina - embora admita que a queda tem muitos outros fatores deflagradores, entre os quais a crise.

Mônica: se fosse tão clara a possibilidade de mudar o regime no meio do ano, não haveria essa controvérsia.

Everardo: a regra é clara e foi feita em 1999 justamente para enfrentar o problema da desvalorização cambial.

Mônica: mas até agora a Receita está para soltar um parecer.

Everardo e os demais: já foi feito, concordando com a Petrobras. Essa prática existe há muito tempo, não existe qualquer ilegalidade ou manobra contábil.

Mônica, balbuciando: a lei foi feita. Houve então uma manipulação da opinião pública?

Todos concordam com a cabeça.

Aí ela deriva a entrevista para o caso Sarney, perguntando se é legítimo pressionar a Receita para abrandar a fiscalização.

O presidente do Sindicato disse que é impossível essa pressão, que nunca essa informação correu na Receita. Disse que sempre trabalhou próximo à chefia da Receita, tanto no governo FHC e Lula, e nunca viu esse procedimento. O chefe da Receita conversa com políticos todos os dias. Mas esse tipo de ingerência é novidade para a gente.

Everardo disse que se ocorreu, o momento certo seria na época em que foi feita. Se não fez, cometeu prevaricação.

Conclusão final dos três entrevistados: Lina foi um desastre para a imagem da Receita e caberá a todos os funcionários trabalharem para o resgate de sua imagem.

Assista o programa e depois volte à abertura.

PS - O programa é ao vivo. Então na abertura Mônica definiu conclusões que não foram avalizadas, posteriormente, pelos entrevistados.


Da Redação, com informações da Carta Maior


quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Este eu indico!



Blinis com lâminas de salmão e caviar( foto acima), Caldeirada de mexilhões, Camarão a tailandês, Língua ao molho madeira, Berinjela à pizzaiola e Cupim com coradas. Esses são alguns dos petiscos que desgustei na noite dessa terça-feira, no Memmo Pasta e Pizza, bar que fica localizado na Rua Tomé de Souza, 1331, esquina com Levindo Lopes, na Savassi, em Belo Horizonte.

A degustação teve como objetivo apresentar aos jornalistas os novos petiscos do menu do Memmo Pasta e Pizza .

O estabelecimento pertence a Memmo Biadi que também é proprietário do Restaurante Dona Derna, que funciona imediatamente ao lado do Memmo .

Com um cardápio de petiscos variados e preparados com requinte, o bar oferece um ambiente bem decorado e aconchegante além de ótimos preços.

Foi uma noite muito agradável que reuniu os seguintes jornalistas: Eduardo Camanho, responsável pelo departamento de jornalismo da Rádio Band News;os repórteres da Rádio Band News Tiago Rogero, Jal Ferreira, Mônica Arruda e Patrícia Dalip; o responsável pela coluna Pelacidade do Jornal Hoje em dia, Gustavo Mendicino e a assessora de imprensa da Zoom Comunicação Marla Domingos. Também participaram do encontro o vocalista da Banda Tianastácia Podé Nastácia e meu filho Tomás Rajão,fotógrafo da noite.

Veja as fotos do encontro e dos petiscos preparados pelo Memmo Pasta e Pizza e comprove que a degustação foi realmente de dar água na boca:







segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Saiba quando procurar um médico


Em 2003 comecei a sentir fortes dores abdominais e durante cerca de 3 semanas empreendi uma verdadeira via sacra em consultórios médicos e hospitais sem conseguir uma resposta para tamanho desconforto.

Cheguei a passar uma noite em um ambulatório do Hospital Belo Horizonte onde me submetí a ultrasons, radiografias e exames de sangue sem conseguir uma resposta para o que eu sentia e me incomodava. Como os resultados dos exames não apontavam nada, acabei liberada para voltar para casa e sem nenhuma solução para a minha dor. Uma dor difusa, que provocava sensação de ardor em todo meu abdómen, que me tirava do sério mas, que não me deixava desistir de desvendá-la.

Depois de 20 dias sofrendo fui fazer um novo ultrasom abdominal no mesmo hospital quando, enfim, veio o diagnóstico. O médico falou: o seu apêndice parece um chouriço. Você precisa ser operada com urgência. Avise sua família, pois daqui você só sai para a sala de cirurgia.

Você pode imaginar o meu susto? Fui fazer um exame e acabei sendo operada de emergência. Mas, ainda bem! Pelo menos a solução para o meu sofrimento estava próxima.

Liguei para meu marido e avisei que ia ser operada naquele instante e que ele não precisava se preocupar pois, estava tudo bem. Pedi para que ele avisasse no meu trabalho e que desse orientações para nossa empregada cuidar da casa e das crianças.

Dispensei a ida dele e de qualquer outra pessoa ao hospital naquele momento, pois de nada adiantaria, já que eu iria estar numa mesa de operação.

Depois de mais de 4 horas de cirurgia, meu apêndice foi retirado. Apesár do risco do procedimento, correu tudo bem. Fiquei cerca de 7 dias hospitalizada. Para me recuperar totalmente foi preciso quase um mês de muitos cuidados.

Hoje, dessa cirurgia, resta apenas uma pequena marca que a cada ano fica menos visível e a lição de que sempre temos que ouvir os sinais emitidos pelo nosso corpo.

Nunca devemos menosprezar uma dor quando ela insiste em continuar nos incomodando. A dor é o primeiro alarme do organismo para nos avisar que alguma coisa não vai bem com nossa saúde.

E ao viajar pela internet, ví no www.folha.com.br uma reportagem sobre os sinais de alerta emitidos pelo nosso organismo e resolvi publicá-la aqui no blog, para que sirva de orientação para todos que se interessarem pelo assunto. Vale a pena conferir para saber o momento certo de sair correndo e buscar uma ajuda médica.

Sintomas mostram a hora de ir ao médico; veja lista criada por especialistas

RACHEL BOTELHO
da Folha de S.Paulo

Todo mundo sabe que uma dor no peito ou uma dor abdominal aguda são motivos para ir correndo ao pronto-socorro. Mas outros sintomas menos óbvios deixam dúvida sobre a necessidade de procurar ajuda.

Baseada em uma lista elaborada pela Clínica Mayo, nos EUA, com dez sinais que precisam de cuidados médicos, a Folha ouviu especialistas para saber o que cada um pode indicar e que atitude é preciso tomar.

David Lewi, clínico-geral e infectologista do hospital Albert Einstein e professor da Unifesp, afirma que alguns dos sintomas listados são mais importantes do que outros. "Mas cada um tem razão de ser."

Alfredo Salim, clínico-geral e médico de família do Hospital Sírio-Libanêsem São Paulo, acrescenta outros sinais que demandam atenção, como tontura, sensação de queda de pressão, inchaço súbito e sede intensa.

Para Arnaldo Lichtenstein, clínico-geral do Hospital das Clínicas de São Paulo e professor da USP, outro sintoma importante é um inchaço progressivo na perna ou no rosto, que indica problemas de fígado, rim ou coração.

1) DOR DE CABEÇA FORTE REPENTINA

É caso de urgência: a pessoa deve ser encaminhada imediatamente a um hospital. "Em quem não tem enxaqueca, o grande medo é um sangramento na cabeça, o derrame ou AVC hemorrágico", afirma Arnaldo Lichtenstein. Alfredo Salim define o sintoma como "uma explosão de dor de cabeça" e lembra que é uma das causas de morte súbita. Diferentemente do que reza o senso comum, o problema atinge pessoas de todas as idades. "Jovens podem ter um aneurisma [rompimento de vasos] que leva ao AVC hemorrágico, e os pacientes hipertensos podem sofrer ruptura de vasos cerebrais", explica. Outras possibilidades são meningite -com dor de cabeça e rigidez do pescoço- e encefalite.

2) PERDA DE PESO SEM EXPLICAÇÃO

Uma perda involuntária de peso nos últimos três a seis meses pode ter inúmeras causas e deve ser investigada. Como parâmetro, os médicos consideram 10% do peso total, mas, no caso dos obesos, o simples fato de parar de engordar sem motivo pode ser indicativo de hipertireoidismo, depressão, doenças do fígado e câncer. Para David Lewi, do Einstein, doença oncológica é a principal suspeita quando a perda de peso ocorre sem outros sintomas. Acompanhada de febre, pode ser tuberculose. Outras doenças, como lúpus eritrematoso sistêmico, artrite reumatoide e outras doenças autoimunes costumam causar, também, febre, dor articular e manchas pelo corpo. O hipertiroidismo, por sua vez, pode provocar sudorese e mão trêmula. "Se a pessoa continua comendo, eu pensaria em problema na tireoide, diabetes e causas endrocrinológicas. Em idoso, a maior causa é a depressão", afirma Arnaldo Lichtenstein, do Hospital das Clínicas de São Paulo. Segundo ele, em jovens o emagrecimento injustificado pode ser sinal de anorexia nervosa, bulimia e problemas psiquiátricos, além de hipertireoidismo e diabetes.

3) FRAQUEZA, PERDA DE VISÃO OU DA FALA SÚBITA

Se você tem esses sintomas, minutos contam, alerta a equipe da Clínica Mayo. Eles são sinais de um AVC ou de um "ataque isquêmico transitório", chamado também de mini-AVC. Procure atendimento logo se tem fraqueza súbita ou paralisia em um dos lados do corpo, perda, diminuição da visão ou visão borrada repentinamente, perda da fala ou problemas para entender os outros, vertigem inexplicável ou perda de equilíbrio. "Trata-se da perda súbita do fluxo cerebral por conta de algum problema na artéria, como um coágulo de sangue ou uma doença arterial que causa obstrução", afirma Lewi. O médico ressalta a importância de socorro rápido. "Hoje, se for atendido em três 3 horas, a pessoa pode se recuperar e ficar sem sequelas." Nada de perder tempo, portanto.

4) VER FLASHES DE LUZ

O mais específico dos sintomas pode sinalizar um rasgo na retina que, se não for tratado com urgência, pode levar ao descolamento da retina e à perda parcial ou total da visão. "O primeiro sintoma é um relâmpago, como se estivessem tirando fotos com flash. Depois, o sinal do descolamento são manchas escuras no campo visual, como se fechassem a cortina", afirma a oftalmologista Nilva Moraes, do Instituto da Visão da Unifesp. Segundo ela, o melhor a fazer é convocar um oftalmologista de confiança e partir para o pronto-socorro. Em pessoas saudáveis, os fatores de risco são trauma ocular, miopia superior a seis graus e idade superior a 50 anos. Na opinião de Lichtenstein, esse sintoma não deveria estar na lista. "É muito específico e, geralmente, ocorre em um olho só", justifica.

5) DELÍRIOS

Mudanças em comportamento ou pensamento podem ser causadas por muitos problemas, incluindo infecção, condições psiquiátricas ou medicamentos, especialmente aqueles que começaram a ser administrados recentemente. O paciente pode apresentar uma confusão severa ou uma mudança rápida no estado mental, como da letargia para a agitação. "Na primeira manifestação é urgente", afirma Salim. Os delírios podem sinalizar um AVC, um tumor e também uma doença infecciosa viral, a encefalite. "Nesse caso, o tempo que leva para procurar o médico define como o problema vai evoluir e se a pessoa vai sair sem sequelas ou mesmo sobreviver", afirma Lewi. Os delírios podem vir acompanhados de dor de cabeça súbita e mudança de personalidade. Salim menciona ainda os problemas psiquiátricos. "Surto psicótico agudo começa com delírio", diz. Já nos idosos as causas podem ser variadas. "Qualquer problema sistêmico pode dar delírios, como desidratação e infecção", pondera Lichtenstein.

6) SENTIR-SE SACIADO APÓS COMER POUCO

Sentir-se satisfeito antes que o normal ou depois de comer menos do que o costume não em uma refeição, mas por mais de uma semana, é razão suficiente para procurar um médico clínico ou um gastroenterologista. Frequentemente, pode vir acompanhada de outros sintomas, como náuseas, vômitos, inchaço, febre e perda ou ganho de peso. "Enquanto a alteração do hábito intestinal está ligado ao intestino, a saciedade tem relação com o estômago. É uma queixa comum de gastrite e úlcera -não precisa nem ter queimação- e pode até ser câncer", afirma Arnaldo. Para Salim, o problema pode ter outras origens, como fígado, vesícula e esôfago. "E também pode indicar problemas cardiológicos, como insuficiência cardíaca e obstrução de coronária direita, mas não é comum", ressalva.

7) FEBRE ALTA OU PERSISTENTE

Febre superior a 37,8ºC, com duração acima de quatro dias, precisa ser investigada. Segundo Lewi, 60% das febres de origem indeterminada são de natureza infecciosa, entre elas as bacterianas, como infecção do trato urinário e meningite. O restante pode ser causado por tumores, alguns medicamentos de uso crônico (anticonvulsivante) e doenças reumatológicas, como lúpus e artrite reumatoide. "É um quadro que implica tratamento rápido, porque sem antibiótico a pessoa pode evoluir mal e até morrer", afirma o médico. Alfredo Salim Helito, do Sírio-Libanês, concorda. "Quando vem associada a mal-estar, tosse, queda do estado geral, transpiração ou confusão mental, deve-se procurar um atendimento de emergência", afirma. Se a pessoa sentir tremores, também, pois é indício de infecção bacteriana.

8) FÔLEGO CURTO

Se a pessoa apresenta uma dificuldade súbita de respirar ou está arfando em busca de ar, não há dúvida de que se trata de uma emergência hospitalar. "É um sintoma que merece ser visto rapidamente, porque pode ser algo banal ou problemas sérios, como embolia pulmonar, infarto e insuficiência cardíaca descompensada", afirma Helito. Se a falta de ar vem se agravando há meses, pode ser um sintoma de doenças pulmonares ou cardíacas. "Se tem menos de uma semana, pode ser asma, pneumonia ou embolia, e a pessoa precisa ir ao pronto-atendimento. O infarto, em algumas pessoas, pode vir só com falta de ar, sem dor", diz Arnaldo Lichtenstein, do HC. Já a embolia pulmonar, outro quadro grave que exige socorro imediato, vem sempre associada a trombose em um dos membros, principalmente os inferiores, que incham repentinamente.

9) MUDANÇAS INEXPLICÁVEIS DOS HÁBITOS INTESTINAIS

Para Lichtenstein, uma pessoa que tem hábito intestinal diário, passa três ou quatro dias constipada e depois tem uma diarreia deve ligar o sinal de alerta. Segundo Lewi, fezes com sangue, diarreia com duração de uma semana e constipação que dura mais de três semanas podem sinalizar infecção bacteriana, viral ou infestação por parasitas. "Não pode ter esses sintomas e deixar de ir ao médico. Se houver um único sangramento vivo, em grande quantidade, é melhor ir ao pronto-atendimento", afirma ele, para quem câncer de cólon e doenças intestinais inflamatórias -como retocolite ulcerativa, uma inflamação de natureza autoimune, e doença de Khron- podem provocar esses sintomas. Depressão, ansiedade, problemas inflamatórios intestinais ou na tireoide também não podem ser descartados. "O intestino é um órgão de choque de muitos problemas que não são intestinais. O indicado é procurar um clínico ou ir direto a um gastroenterologista", diz.

10) JUNTAS QUENTES, VERMELHAS OU INFLAMADAS

Esse é o campo dos reumatologistas. A exceção são os casos em que somente uma das juntas está inchada ou inflamada, o que pode sinalizar uma infecção e geralmente tem febre associada. "A artrite séptica é causada por bactérias e pode ser identificada quando uma junta única fica quente, muito inchada e extremamente dolorida. É urgentíssimo, porque precisa drenar a articulação e tirar o pus", afirma Salim. Se atinge mais de uma junta, pode ser um episódio de gota, artrite reumatoide, lúpus, febre reumática. Arnaldo Lichtenstein menciona ainda doenças sistêmicas, como leucemias, anemia falciforme e problemas endocrinológicos, como possíveis causas dos sintomas.

sábado, 22 de agosto de 2009

Veja os bastidores do Prosa de Mulher que teve como tema Mulheres em redutos masculinos




O Prosa de Mulher deste sábado teve como tema mulheres que trabalham em atividades consideradas típicas de homens até há pouco tempo.

Participaram do programa as seguintes convidadas:.

ALCIONE RODRIGUES DE ALMEIDA foi uma das primeiras vendedoras a serem contratadas na Bel Lar, empresa especializada em acabamentos de Belo Horizonte. Quando a empresa foi fundada em 1967, o quadro de vendedores não tinha nenhuma mulher. Hoje elas já ocupam 50% das vagas.Alcione está na empresa há nove anos e vai contar o que mudou hoje para as mulheres terem o mesmo espaço no quadro de funcionários. Alcione tem 30 anos, é solteira e está grávida de oito meses.

TERESA RECORDER GONÇALVES é empresária e coordena o bar e restaurante mais antigo de Belo Horizonte, o Tip Top, que neste mês de agosto completa 80 anos. Ela tem 62 anos, é casada, mãe de quatro filhos e avó de três netos.

MARLA DOMINGOS, jornalista e assessora de imprensa da Zoom Comunicação.

CAMILA CAPONE, publicitária e assessora de planejamento digital da Web Consult.

Agradeço todas as convidadas pela participação e pelo bate-papo tão enriquecedor e importante. Foi ótimo tê-las comigo no Prosa de Mulher!

Veja agora os bastidores do programa:




Marla Domingos

Alcione Rodrigues de Almeida

Tereza Gonçalves


Camila Capone

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Prosa de mulher vai receber profissionais pioneiras em redutos masculinos.


Neste sábado, o Prosa de Mulher, programa que apresento do meio-dia às duas da tarde na Rádio Inconfidência AM880 e pelo www.inconfidencia.com.br terá como tema "Mulheres que trabalham em atividades consideradas exclusivas de homens até há pouco tempo".

Participam do programa as seguintes convidadas:

ALCIONE RODRIGUES DE ALMEIDA foi uma das primeiras vendedoras a serem contratadas na Bel Lar, empresa especializada em acabamentos de Belo Horizonte. Quando a empresa foi fundada em 1967, o quadro de vendedores não tinha nenhuma mulher. Hoje elas já ocupam 50% das vagas.Alcione está na empresa há nove anos e vai contar o que mudou hoje para as mulheres terem o mesmo espaço no quadro de funcionários. Alcione tem 30 anos, é solteira e está grávida de oito meses.

TERESA RECORDER GONÇALVES é empresária e coordena o bar e restaurante mais antigo de Belo Horizonte, o Tip Top, que neste mês de agosto completa 80 anos. Ela tem 62 anos, é casada, mãe de quatro filhos e avó de três netos.

MARLA DOMINGOS, jornalista e assessora de imprensa da Zoom Comunicação.

CAMILA CAPONE, publicitária e assessora de planejamento digital da Web Consult.Tem 27 anos e é solteira.


Você é meu convidado! Conto com a sua audiência! E se quiser depois deixar seu comentário sobre o que achou do programa, ficarei muito agradecida pelo feedback.

Um beijo carinhoso e até lá, no Prosa de Mulher!


Se quiser ouvir por aqui, clique :


http://www.inconfidencia.com.br/am/aovivo/index.html

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Homens são os que menos buscam tratamento para doenças sexualmente transmissíveis


As mulheres que se cuidem pois, se depender dos homens, todos estarão correndo um sério risco em contrair doenças sexualmente transmissíveis. Pelo menos é o que aponta um estudo divulgado nessa terça-feira pelo Ministério da Saúde.

O levantamento mostra que as doenças sexualmente transmissíveis estão longe de sair das estatísticas do país. Cerca de 10 milhões de brasileiros já tiveram algum sinal ou sintoma de doenças sexualmente transmissíveis, como gonorreia, sífilis, herpes genital e HPV. Do total de infectados, 6,6 milhões são homens e 3,7 milhões, mulheres. Os números estão na pesquisa de conhecimentos, atitudes e práticas da população brasileira de 15 a 64 anos. Os dados são preocupantes: 18% dos doentes do sexo masculino e 11,4% do feminino não procuraram nenhum tipo de tratamento.

O levantamento ocorreu em todas as regiões do país em novembro de 2008, com 8 mil entrevistados. A análise dos dados foi feita pela equipe técnica do Departamento de DST e Aids do Ministério da Saúde, com o apoio do Centro de Informação Científica e Tecnológica da Fundação Oswaldo Cruz. Várias ações foram preparadas para enfrentar os problemas causados pelas DST, que podem aumentar em 18 vezes o risco de infecção pelo HIV.

Serão distribuídos aos estados e municípios 1 milhão de folhetos, 600 mil adesivos para banheiros, 180 mil cartazes e 60 mil cartões-postais. Uma das novidades da campanha é o hotsite www.aids.gov.br/muitoprazer, que traz informações gerais sobre prevenção e tratamento das enfermidades. Além disso, o internauta pode usar cartões virtuais para contar ao parceiro a descoberta da infecção por alguma doença, sem necessidade de se identificar.

A Região Norte do país apresenta o maior percentual (24,6%) de homens que relataram ter tido pelo menos uma DST. Nas outras regiões, esse índice não ultrapassa os 20%. Entre as mulheres, as porcentagens variam de 11,2% no Sul a 7% no Nordeste. Em relação a raça/cor, o total de homens negros que relataram sinal ou sintoma de DST é maior do que entre os brancos : 19% e 13,8%, respectivamente. No país, quase 9% dos homens jovens sexualmente ativos (de 15 a 24 anos) tiveram algum antecedente de doença sexualmente transmissível na vida. Entre as mulheres, esse percentual é de 5,5%.

Outro dado assustador é a automedicação, comum entre os homens. Enquanto 99% das mulheres que procuram tratamento recorrem primeiro a um médico, 25% dos homens buscam solução no balcão da farmácia. Entre eles, quanto menor a escolaridade, maior é o percentual de quem recorre à prática não recomendada. A pesquisa constatou ainda que os pacientes com indícios de DST nem sempre recebem as orientações adequadas. Apenas 30% dos homens e 31,7% das mulheres tiveram a recomendação de fazer o teste de HIV. A solicitação de exame de sífilis é ainda menor: 24,3% e 22,5%, respectivamente. Cerca de 40% também não são informados sobre a necessidade de usar preservativo e comunicar os parceiros.

Nesse cenário, os homens têm 31,2% mais chance de ter pelo menos um antecedente de DST alguma vez na vida do que mulheres. As pessoas que moram em áreas urbanas têm 28% maior de chance que os moradores de zonas rurais. O fato de ter alguma relação sexual com parceiro do mesmo sexo mais do que dobra a probabilidade de ter tido algum sinal relacionado às doenças. Indivíduos com mais de um parceiro na vida têm 37% mais chance de ter pelo menos um antecedente relacionado à DST .A primeira relação sexual antes dos 15 anos aumenta também a chance de ter algum problema relacionado a essas doenças em 46,1%.

Em Minas, os dados disponíveis na Secretaria de Estado de Saúde se referem a sífilis em gestantes, congênita e Aids. Em 2008, 155 grávidas foram contaminadas por sífilis e houve 150 casos congênitos. Quanto à Aids, foram 28.717 casos desde 1980, no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) de Minas Gerais, o que corresponde a 4% das notificações no país.

Fonte: www.uai.com.br

Por outro lado, as mulheres, em breve, poderão se proteger sem depender da boa vontade de seus companheiros. É que cientistas estão desenvolvendo uma camisinha feminina em gel, que pode ser a solução para aquelas pessoas cujos parceiros se recusem a usar camisinha masculina:

Pesquisadores americanos desenvolvem camisinha feminina em gel

da BBC Brasil

Pesquisadores da Universidade de Utah, nos Estados Unidos, estão desenvolvendo uma 'camisinha molecular' para mulheres em forma de gel para proteger contra a infecção pelo vírus HIV, causador da Aids.

Segundo os cientistas que participam do projeto, a camisinha em gel seria aplicada na vagina antes da relação sexual.

Ao entrar em contato com o esperma, o gel liberaria uma substância antiviral que atacaria o HIV e formaria uma rede que impediria a passagem do vírus.

Em um estudo publicado na revista científica "Advanced Functional Materials", os cientistas testaram o material em células vaginais humanas e comprovaram que ele bloqueia a passagem das partículas de HIV.

A equipe de pesquisadores vem trabalhando no desenvolvimento da camisinha feminina em gel há vários anos.

Segundo Patrick Kiser, que coordena a pesquisa, o gel seria particularmente útil para os países africanos, onde o uso de preservativos tradicionais é relativamente baixo.

Primeira versão

A equipe de pesquisadores havia desenvolvido em 2006 uma primeira versão do gel, que se transformava em uma capa gelatinosa ao entrar em contato com a pele e voltava ao estado líquido ao entrar em contato com o sêmen.

Porém o maior problema que encontraram para essa primeira versão era que na África, continente onde estão os países com os maiores índices de contaminação pelo HIV, as altas temperaturas impediam que o gel voltasse ao estado líquido.

Para corrigir isso, o que eles fizeram foi gerar um processo exatamente oposto: por meio de mudanças na composição química relacionadas ao pH (o índice de acidez ou alcalinidade) do esperma, o novo gel fica mais sólido em vez de mais líquido.

A equipe de cientistas estima que ainda serão necessários vários anos de testes para que o produto possa estar disponível para uso generalizado.

Tendência

O projeto da Universidade de Utah faz parte de uma tendência internacional de investigar e desenvolver sistemas de liberação de substâncias microbicidas como géis, anéis, esponjas e cremes para prevenir infecções pelo vírus da Aids ou por outras doenças sexualmente transmissíveis.

Esses sistemas são vistos como uma forma de que as mulheres tenham um maior poder de proteger a si mesmas do HIV, particularmente em regiões onde o índice de contaminação seja alto, onde haja um grande número de estupros, onde os preservativos tradicionais sejam um tabu ou não estejam disponíveis ou onde os homens sejam reticentes a usá-los.

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Gripe suína: cai procura por atendimento no ambulatório do Hospital das Clínicas em Belo Horizonte



Do Jornal Estado de Minas


Ainda é cedo para afirmar que o influenza A (H1N1) tem perdido a força, mas alguns sinais de que a doença não vem causando tanto medo começam a surgir. Fatores como a abertura da rede pública e privada de saúde para o atendimento a pessoas com sintomas da gripe suína, a distribuição do medicamento e a gama de informação enviada à população diariamente são encarados como pontos positivos para o combate à doença. O que é perceptível até mesmo nos ambulatórios referência de Belo Horizonte, que antes sofriam sobrecarga. O Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Minas Gerais (HC/UFMG) já sente a diferença: em apenas uma semana, a procura por consultas específicas para o caso reduziu em 60%.

“Mas, mesmo assim, ainda não dá para respirar aliviado”, alerta o subsecretário de Vigilância em Saúde da Secretaria de Estado de Minas Gerais (SES), Luiz Felipe Caram, acrescentando que ainda não se sabe o que pode acontecer nos próximos dias. Porém, o fato das pessoas estarem mais informadas sobre a doença e, por isso, mais cautelosas para não serem contaminadas, pode ser um indício de que a alta transmissão está perdendo a força. “O que está acontecendo é uma série de fatores: a abertura do atendimento nos postos de saúde diminuiu a sobrecarga no sistema de referência, a temperatura está mudando, os dias estão mais quentes e a informação está mais disseminada”, aponta.

Ainda que o novo vírus não tenha se despedido, a infectologista e coordenadora do ambulatório do HC, Marise Fonseca, diz que há algumas semanas cerca de 100 pessoas com sintomas da gripe eram atendidas diariamente no ambulatório, número que caiu nos últimos dias para 40. “Estamos cumprindo o nosso papel de local referência para os pacientes. Com abertura dos postos de saúde, isso ficou mais claro, ou seja, quem nos procura vem encaminhado de alguma unidade básica. A gente espera que o pico da doença seja agosto, mas essa redução, pode ser um indício de que estamos no momento decrescente na curva da epidemia. No entanto, ainda é cedo para afirmamos que é essa a realidade”, diz, apontando como ganho o fato de que houve redução na letalidade das doenças respiratórias tão comuns nesta época do ano. “Passamos a vigiar mais esses casos, estamos mais atentos. Isso é um aspecto positivo.”

Por outro lado, a infectologista e coordenadora do Hospital Eduardo de Menezes, Tânia Marcial, diz que não houve redução no atendimento. Para ela, o fato de o Brasil não realizar mais exames em todo os pacientes com suspeita da doença pode indicar um falso decréscimo no número de casos. “No Eduardo de Menezes, a enfermaria está sempre lotada”, revela.

Morte

A Secretaria Estadual de Saúde do Rio Grande do Sul confirmou nessa terça-feira mais oito mortes causadas por gripe suína no estado, que tem no total 78 óbitos causados pela doença. Também na terça-feira, o Paraná confirmou mais 28 mortes em decorrência do novo vírus, subindo para 107 o total de óbitos no estado. Com as novas notificações, o país chegou a 378 mortes. São Paulo é o estado com o maior número: 134 confirmados. O Paraná é o segundo, seguido pelo Rio Grande do Sul (78), Rio (39), Santa Catarina (9), Minas Gerais (5), Paraíba (2), Pernambuco (1), Bahia (1) e Rondônia (1), além do DF (1).

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Beba sem culpa mas, com moderação!


Diferente da maioria das pessoas que conheço e convivo, não sou muito adepta de bebidas alcoólicas. Bebo socialmente, muito pouco e faço isso por uma simples opção pessoal.

Na verdade, não tenho bebido quase nada nos últimos tempos. Tenho preferido água, sucos ou mesmo refrigerantes quando vou a algum bar, restaurante ou festa.

Mas, reconheço que uma cerveja bem gelada realmente desce muito bem, principalmente o primeiro copo naquele dia em que você já não suporta mais o calor!

E hoje fui surpreendida com a notícia de que, além de aliviar o calor, matar a sede e causar prazer, a cervejinha gelada, quando consumida com moderação, pode também garantir mais saúde para os ossos das mulheres e protegê-las contra a osteoporose, doença que as atinge principalmente a partir da menopausa.

A boa nova, voltada principalmente para as adeptas de uma cervejinha, foi divulgada hoje pela BBCBRASIL e se refere a um estudo realizado na Espanha.

Leia, confira e depois comemore com um bom copo de cerveja:

Mulheres que bebem quantidades moderadas de cerveja podem fortalecer seus ossos, segundo um estudo de pesquisadores espanhóis.


O estudo com cerca de 1.700 mulheres, publicado na última edição da revista científica Nutrition, verificou que a densidade dos ossos era melhor em mulheres que bebiam regularmente do que em mulheres que não bebiam.

Mas a equipe de pesquisadores adverte que o efeito pode ser mais ligado a hormônios de plantas presentes na cerveja do que ao álcool.

Especialistas também sugeriram cautela em relação è descoberta. Eles advertem que o consumo diário de mais de duas unidades de álcool prejudica a saúde dos ossos.

A osteoporose, condição na qual a densidade dos ossos fica menor, deixando a pessoa mais suscetível a fraturas, é um problema comum em mulheres após a menopausa.

Os autores do novo estudo, da Universidade de Extremadura, na Espanha, disseram não recomendar que as mulheres comecem a beber cerveja para fortalecer seus ossos, mas sugeriram que novos estudos sejam feitos com um ingrediente da cerveja chamado fitoestrogênio.

Para a pesquisa, eles recrutaram voluntárias com uma idade média de 48 anos e usaram ultrassom para medir a densidade dos ossos em seus dedos das mãos.

Os resultados foram comparados, levando-se em conta fatores como peso, idade e consumo de álcool.
Mulheres definidas como consumidoras “leves” ou “moderadas” de cerveja – até 280 gramas de álcool por semana, ou o equivalente a até cinco unidades por dia – tinham uma densidade óssea maior na média do que as abstêmias.

O resultado da pesquisa está de acordo com outros estudos anteriores, incluindo um conduzido no Hospital St. Thomas, em Londres, que sugeriu que beber em média oito unidades de álcool por semana pode ser benéfico.

Porém especialistas advertem que é difícil estabelecer um limite certo entre uma dose “saudável” de álcool e uma prejudicial.

O limite máximo estabelecido pelo estudo espanhol, de 35 unidades por semana, é o dobro do máximo recomendado para as mulheres.

Fonte: www.bbcbrasil.com.br

domingo, 16 de agosto de 2009

Era apenas um resfriado!


Nesse sábado acordei com uma tremenda dor de garganta. Fiz um gargarejo com o Elixir JB Tapataio, que ganhei de presente de uma ouvinte, e consegui amenizar o desconforto. Fui até mesmo trabalhar e apresentar o Prosa de Mulher.

Porém, ao voltar para casa, piorei bastante e cheguei a ter febre de 38 graus, aliada a um pouco de dor no corpo. Confesso que fiquei com muito medo de ser a temida gripe suína e por conta disso, a todo momento, media minha temperatura com o auxílio de um termômetro. Mas, a minha febre não ultrapassou os 38 graus. Mesmo assim, liguei para minha cunhada que é médica e perguntei o que ela achava que poderia ser: gripe, resfriado ou gripe suína? Ela disse que pelos sintomas eu estava apenas resfriada.

Para explicar a diferença entre uma gripe e um resfriado, ela usou a seguinte metáfora: um resfriado é um gato e uma gripe é um tigre. Concluí que realmente estava apenas resfriada. Entretanto, não pude deixar de pensar : se todo esse mal estar é provocado por um simples resfriado, imagine se fosse uma gripe! Fiquei pensando como sofrem as pessoas que ficam gripadas de verdade. A sensação é de que um trator passou sobre a gente. No meu caso foi um trator pequenino. A cabeça ficou um pouco oca, o raciocínio meio lento e só tinha vontade de ficar quieta, sem fazer nada. Por tudo isso, tratei de tomar muito líquido, limonada e ingerir frutas cítricas como laranja e abacaxi.

Também, por orientação da doutora Cláudia, tomei um antitérmico ao deitar e neste domingo acordei bem melhor e sem nenhuma febre. Minha garganta já não doía mais e me sentia um pouco mais animada. E tenho a certeza que estarei ainda melhor nesta segunda-feira, quando espero ir trabalhar normalmente.

E que a gripe suína fique bem longe de todos nós! Assim seja! Amém!

sábado, 15 de agosto de 2009

Veja os bastidores do Prosa de Mulher que teve como tema " Educação e a gripe suína nas escolas"



O Prosa de Mulher deste sábado teve como tema "Educação de nossos filhos e a prevenção da gripe suína nas escolas".

Participaram do programa as seguintes convidadas:

DILMA DUTRA BORGES DE CASTRO, pedagoga com especialização em psicopedagogia, mestranda do curso de Gestão Social, Educação e Desenvolvimento Local e professora da Universo- Universidade Salgado Oliveira.

MÁRCIA NOGUEIRA AMORIM, bióloga, mestre em Epidemiologia, ex- servidora das prefeituras de Betim e Santa Luzia, onde trabalhou na vigilância epidemiológica. Atualmente é professora de Epidemiologia e Bioestatística do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix e coordenadora do Núcleo de Biociências.

ROSÉLIA ASSIS DE AZEVEDO RIBEIRO, pedagoga com pós-graduação em Psicologia Educacional e mestrado em Pesquisa em Educação. Atualmente é a Coordenadora Pedagógica da Educação Infantil do Colégio Padre Eustáquio.

ROSA VANI PEREIRA , pedagoga e gerente de Articulação da Política Pedagógica da Secretaria de Educação de Belo Horizonte.

Agradeço todas as convidadas pela participação e pelo bate-papo tão enriquecedor e importante. Foi ótimo tê-las comigo no Prosa de Mulher!

Veja agora os bastidores do programa:




Dilma Dutra-Pedagoga e professora da Universo-Universidade Salgado Oliveira.

Rosélia Ribeiro-Pedagoga, coordenadora pedagógica da educação infantil do Colégio Padre Eustáquio.

Márcia Amorim-epidemiologista, professora de epidemiologia e bioestatística do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix e coordenadora do Núcleo de Biociências.


Rosa Vani Pereira-pedagoga e gerente de Articulação da Política Pedagógica da Secretaria de Educação de Belo Horizonte