sábado, 14 de março de 2009

Pedestres precisam e querem mais segurança na Raja Gabaglia.



Todos os dias atravesso a Avenida Raja Gabaglia para chegar ao trabalho, na Rádio Inconfidência, cuja sede fica no número 1666.


Geralmente, faço essa travessia na altura do número 1785, na confluência com o final da Rua Gentios, exatamente onde foi tirada a fotografia acima.


Trata-se de um local de grande movimentação de carros e pessoas, onde existem instalados cinco semáforos. Por lá circulam diariamente milhares de moradores do Aglomerado Morro das Pedras, Conjunto Santa Maria, Bairro Luxemburgo, funcionários públicos e privados, pessoas que vêm de outros bairros e cujo destino é também o Hospital Luxemburgo, que fica próximo à Raja.


Percebo que fica cada vez mais perigoso ser um transeunte nesse lugar. Você há de perguntar: por quê? E respondo: por vários motivos.


O primeiro deles é que, apesar dos sinais de trânsito, a pintura das faixas de pedestres estão apagadas e fazem com que os automóveis parem quase sempre no espaço destinado à travessia das pessoas.


Outro é que o sinal verde para quem está a pé é tão rápido que quase não há tempo suficiente para uma pessoa jovem atravessar, imagine então idosos e crianças! Outro grande risco é a velocidade de cerca de 60 km por hora usada pelos veículos que passam por lá.


Também os vários estabelecimentos comerciais ali instalados, entre eles supermercado, sacolão, padaria, farmácia, loja de material de construção, restaurante, atraem para seus passeios inúmeros caminhões de carga e descarga e carros de clientes. Conclusão: os passeios, que eram para ser usados pelos pedestres, ficam ocupados por vários veículos e as pessoas são obrigadas a andar, em várias ocasiões, no meio da avenida!


Eu mesma já cansei de contar as vezes que tive de me arriscar e caminhar no asfalto por que não havia lugar nos passeios, quase sempre lotados de carros, caminhões e motos.


Nos horários de início e término das aulas das várias escolas localizadas na região, o perigo fica ainda mais evidente, pois aumenta muito o número de crianças, adolescentes e mulheres que fazem a travessia nos sinais.


Outro problema são os semáforos que não abrem ao mesmo tempo, já que ali é permitida a conversão à esquerda e quando fecha o sinal para o automóvel que vai fazer o retorno na Raja ou entrar para o Bairro Luxemburgo, o sinal continua verde para o motorista que vai seguir em frente. Um verdadeiro risco para o pedestre mais desatento!


Conversando com um rapaz que trabalha como chaveiro há vários anos na esquina da Gentios com Raja, ele disse-me que já assistiu a inúmeros atropelamentos naquele lugar. Acidentes graves e vários deles com vítimas fatais.


Recentemente, o sinal estava verde para mim e quando fui atravessar sobre as apagadas e desfalecidas faixas de pedestre, um veículo, dirigido por um jovem e impaciente motorista, tentou furar o sinal e ao se deparar comigo parou bruscamente, exatamente a meio metro de minhas pernas. Quase morri de susto! Assustada e indignada, apenas disse ao rapaz para prestar mais atenção e ter mais calma no trânsito!


É impressionante como, cada vez mais, impera a falta de educação no trânsito. E a situação só piora. Aliado a isso, o Poder Público é omisso e não contrata fiscais suficientes para coibir delitos e penalizar quem os comete. Também não apresenta soluções para garantir segurança aos pedestres e nem mesmo mantém pintadas as faixas de pedestre.


A Bhtrans, como empresa responsável pelo monitoramento, organização e sinalização do trânsito em Belo Horizonte, tem a obrigação de zelar pela segurança da parte mais fraca, que são os pedestres. Mas, quem anda a pé, infelizmente, não tem prioridade na capital mineira.


Você acredita que nos 12 anos de Rádio Inconfidência, apenas por duas vezes, no máximo, vi fiscais da Bhtrans atuando na região? Mesmo assim, apenas para multar alguns carros estacionados irregularmente em um ponto de táxi que fica em frente ao prédio da Tim.


O poder público é o primeiro a dar mal exemplo quando o assunto é a organização do trânsito. É inconcebível que num local onde circulam todos os dias, o dia todo, milhares de pessoas e veículos, tenha faixas de pedestre praticamente apagadas! É inaceitável que o sinal de pedestre fique aberto apenas por breves segundos, insuficientes para uma travessia de crianças, deficientes e idosos e que não haja uma passarela para garantir a segurança dos transeuntes.


Conversando com uma senhora idosa que estava tendo dificuldade para atravessar a Raja, ela me contou que os moradores já haviam solicitado à Prefeitura de BH a construção de uma passarela para pedestres naquele ponto. Isso teria sido feito há algum tempo e até hoje nada! Nenhuma resposta! E eu pergunto: quantos mais terão que morrer para que providências sejam tomadas?


Uma solução de baixo custo e que poderia ser executada em curto prazo e que diminuiria os riscos e garantiria maior segurança aos pedestres, seria a elevação na rua e pintura da área de travessia do pedestre, como foi feito no entorno da Praça Sete e da Praça Raul Soares. Como se fosse um quebra-mola bem largo que as pessoas pudessem atravessar sobre ele com maior segurança.


Também se faz necessário um novo semáforo em frente aos prédios do Tribunal de Justiça de MG, Rádio Inconfidência, Emater, entre outros, pois o tráfego de pessoas aumentou muito nesse local.


Já que a Prefeitura de BH concede autorização para a construção de prédios enormes em uma movimentada e estreita avenida, como a Raja Gabaglia, tem que oferecer também soluções para todos esses impactos oriundos desses projetos, que resultam em maior tráfego de pessoas e veículos.


Espero que sejam tomadas providencias rápidas e que se encontre uma solução que garanta a organização do trânsito nesse ponto da Raja, para que jovens, crianças, adultos e idosos tenham um mínimo de segurança ao atravessar essa avenida com a certeza de que chegarão sãos e salvos ao outro lado.


Veja nas fotos abaixo como estão apagadas as faixas de pedestre, principalmente do lado direito de que está subindo a avenida. Também na foto de abertura da matéria pode-se ver que os carros ficam parados sobre o local que deveria ser usado apenas para a travessia dos transeuntes.

Informo, ainda, que enviei uma solicitação à BHtrans para que seja apresentada uma solução para o problema, que foi registrada como: Protocolo N°: 603092009 Realizado em:15/03/2009 10:02.














6 comentários:

Cristiano Batista disse...

Oi Rajão!!! Realmente a situação é caótica na Raja, principalmente na altura do número 1666, ainda mais agora que o Tribunal de Justiça está funcionado nesta imediação! Sugiro mais um semáfaro em frente a rádio Inconfidência e o Tribunal, pois ficam próximos aos restaurantes, e existe uma grande circulação de pessoas que vão fazer suas refeições, mas tem que fazer malabarismos entre os carros. E quando chove então, aí que fica uma beleza mesmo, é impossível atravessar a rua sem se molhar. Tenho certeza que com esta mobilização através do seu blog, a BHtrans vai analizar com mais critério a situação da avenida!!!

Márcia Bueno disse...

Os carros seguem em alta velocidade na Raja Gabáglia, apesar do radar, e colocar apenas uma faixa de pedestre em alguns trechos não basta. Aqui não é Nova York onde os motoristas param os carros para os pedestres atravessarem a rua. Então acredito que a faixa foi uma solução inútil. Uma medida relativamente simples seria colocar mais um sinal no trecho referido pela jornalista Déborah Rajão e também uma sincronia entre os sinais, para que o tráfego no local não fique ainda mais confuso.

Cathwillows disse...

Oi!!
Ainda não sei sobre a Semana Santa! Quando resolver eu te falo!
Obrigada e bjs saudosos da mana!

Pedro disse...

O início do funcionamento da nova sede do Tribunal de Justiça e da Faculdade Pitágoras fez aumentar e muito o fluxo de veículos e pedestres na Raja Gabaglia, que já era intenso. Acidentes e atropelamentos são frequentes na região. Eu mesmo fui vítima de um engavetamento ocorrido no início de fevereiro. Um carro em alta velociddade não conseguiu frear, atingindo outros 3 veículos parados. Resultado: vou ficar sem meu carro por quase 2 meses!

Jaderbal disse...

Tinha que ter um semáforo próximo da Rádio Inconfidência.

Assim, ficariam dois semáforos, um em frente à padaria, outro em frente à rádio.

Quando ambos os semáforos estivessem fechados, os motoristas, principalmente os do depósito de construção, poderiam manobrar seus carros e caminhões com mais tranquilidade (pois o trânsito estaria parado).

Aumentaria e muito a segurança dos pedestres e não atrapalharia o trânsito.

Seria bom para todo mundo.

Fica a dica, BHTRANS.


Atenção, pessoal da comunidade do Morro das Pedras e do Conjunto Santa Maria! O espaço aqui é seu também.
E a luta é de todos! Façam seus comentários!


Certo, Déborah Rajão?

blogdadeborahrajao disse...

Achei ótima sua sugestão, Jaderbal.
Com certeza ela deverá ser analisada pela BHtrans.
Um abraço.