terça-feira, 26 de maio de 2009

Parabéns, felicidades e a nossa saudade!


Morávamos há apenas um mês nos Estados Unidos quando me engravidei dela. Fomos para lá com o objetivo de fugir da inflação exorbitante e incontrolável que então se instalara no Brasil, no ano de 1988 e, principalmente, em busca de novas vivências , conhecimento e de fazer um pé-de-meia, coisa impossível de se conseguir aqui no Brasil, tamanho o caos econômico a que todos éramos submetidos .

Meu marido e eu éramos jovens, cheios de força e energia para ir à luta e repletos de vontade de viver coisas diferentes, conhecer outras culturas e aprender um pouco de inglês.

Foi realmente uma experiência maravilhosa, da qual muito me orgulho, principalmente pelos mais importantes frutos que dela colhemos: dois filhos lindos nascidos na “América” e que trouxeram muita alegria para todos nós.

Quando descobrimos que estava grávida dela foi uma surpresa, pois acabáramos de chegar àquele país e nossa nova vida apenas se esboçava. A notícia da gravidez, entretanto, só nos fortaleceu e nos deu mais garra para ir à luta e nos estabelecer o mais rapidamente possível, mesmo diante de muitas barreiras, principalmente a da língua.

Estar grávida pela primeira vez foi, para mim, a realização de um sonho feminino cultivado desde quando brincava com as bonecas que ganhava de presente nos diversos Natais de minha infância .

Vivenciei minha gravidez com muita alegria e, a cada centímetro que a barriga crescia, sentia-me mais realizada como mulher. A sensação de que me tornaria mãe dentro de poucos meses foi, sem dúvida, a mais excitante e gratificante experiência de toda minha vida.

No dia 27 de maio de 1989 ela nasceu. Era um sábado, 1 hora da tarde, horário americano de verão. Ela nasceu na pequena cidade de Milford, estado de Massachussets, de parto natural e sem anestesia. Pesava 3,2 quilos, media 52 centímetros, era linda e saudável.

Desde que colocou a cabecinha para fora de mim, se mostrou tão esperta e ágil que as duas enfermeiras que estavam a postos, cada uma segurando duas das quatro pontas de um lençol quadrado em frente à mesa de parto, quase não conseguiram apará-la, tamanha a rapidez e impulso com que ela se lançou para a vida e ganhou o mundo, ou melhor, o mundo a ganhou de presente.

Após o parto, senti-me em contato direto com o divino, em paz, com a sensação de missão cumprida com a natureza e muito feliz por ter minha filha nos braços. Parecia que flutuava sobre nuvens de floquinhos brancos e delicados por vários dias seguidos desde o nascimento dela, que também foi uma grande força para amenizar a imensa saudade que sentíamos de nossas famílias que ficaram aqui no Brasil.

Quando tinha 2 anos e 3 meses, viemos para o Brasil, e um irmãozinho, de apenas 1 mês de idade, também a acompanhava.

Dezenove anos depois ela retornou ao país onde nasceu. E lá se encontra há um ano.

Quando ela se foi, ficou em meu coração a sensação de ninho vazio. No dia em que ela partiu, chorei todas as lágrimas que haviam em meu corpo possíveis de serem choradas por uma mãe que vê sua filhinha partindo . Chorei muito, pois sentia que mais uma parte do cordão umbilical que me unia a ela estava sendo cortado naquele instante, de forma irreversível.

Mas, hoje, me sinto feliz e orgulhosa ao vê-la, tão jovem, assumindo sozinha a própria vida, caminhando com as próprias pernas e escrevendo com o próprio suor a sua história.

E nesta quarta-feira, a minha filha completa 20 anos e eu quero desejar à minha pequena toda a felicidade possível de existir no mundo e no universo.

Não é possível mensurar o amor que lhe temos, Catarina.

É impossível medir a saudade que sentimos de você.

Queria dizer que lhe amamos muito, que você está sempre presente em nossos corações, em todos os instantes e que estamos torcendo por sua felicidade e realização.

Conte sempre conosco. Parabéns! Que você seja sempre feliz e realize todos os seus sonhos!

A você o nosso carinho, beijos, afeto e todo o nosso amor.

Mamy, papi e brothers.

4 comentários:

Cathwillows disse...

Viva Kate!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Saudades dela!!!!!

simone disse...

dinha,
como nossa garota já tá crescida né? ainda me lembro de seus olhinhos vivos e espertos aos 2 meses de idade olhando o mundo com curiosidade , como se entendesse o que nele se apresentava!agora já está ai,aos 20 anos, corajosa, curiosa e cada vez mais mulher! Parabens taty! saudades!!!

Anônimo disse...

Oi Dinha
me esquecí do niver da Kate. Li seu post e confesso que me emocionei. Saudades dela.
Parabéns Kate!!!!
Tibob

blogdadeborahrajao disse...

Obrigada Cathwillows,Moninha e Tibob. Amo vocês.