quarta-feira, 29 de julho de 2009

Tire dúvidas sobre a gripe H1N1


O avanço nos casos da nova gripe tem causado preocupação e dúvidas. Até essa terça-feira , dia 28 de julho, secretarias municipais e estaduais de Saúde haviam confirmado 56 casos de morte em decorrência da doença no país. Desse total, 19 ocorreram no Rio Grande do Sul, 27 em São Paulo, quatro no Paraná, cinco no Rio de Janeiro e uma na Paraíba.


O site G1 encaminhou ao Ministério da Saúde uma relação de questões de internautas sobre a doença. Veja as respostas:


- Gostaria de saber quais as providências que podemos tomar para proteger nossos filhos na volta às aulas. Outros estudantes da mesma escola foram para a Argentina e Estados Unidos, na viagem de formatura. Não acredito que seja justo nós, pais de alunos que privaram seus filhos do passeio, tentando protegê-los de uma contaminação, termos que colocá-los já no primeiro dia de aula em contato com quem voltou dos lugares que têm registrado muitos casos.
Os ministérios da Saúde e da Educação recomendam que os estudantes brasileiros com sintomas de gripe sigam orientações médicas e evitem retornar às atividades escolares até estarem completamente restabelecidos. A orientação tem como objetivo reforçar a prevenção contra a nova gripe, evitando o contágio. Professores e diretores de escolas também devem ficar atentos e orientar estudantes com sintomas a retornar às suas casas. Pais e responsáveis devem levar seus filhos aos postos de saúde ou ao consultório médico de confiança ao perceberem os primeiros sinais de uma gripe, que são febre repentina, tosse, coriza, dores musculares, nas articulações e dor de cabeça.

- Disseram que a nova gripe pode ser transmitida para animais como cães e gatos. É verdade?
Até o momento não houve relato de caso da presença do vírus em animais.

- Gostaria de saber se o medicamento tamiflu já existia ou foi fabricado a partir da existência da nova gripe.
O estoque de tratamentos disponíveis no Ministério da Saúde foi adquirido em 2005, época de uma possível epidemia de gripe aviária. O ministério tem medicamento suficiente para enfrentar a pandemia de influenza A (H1N1). O estoque é de 9 milhões de tratamentos em pó. Até o fim de julho, o ministério vai receber mais 150 mil tratamentos. O governo federal esclarece que o estoque de remédios está de acordo com as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS).

- Estive com gripe durante dois dias, com espirros e tosse, mas sem febre, vômito, cansaço etc. Tratei esse mal-estar com chá caseiro e me sinto curado. Posso ter adquirido o vírus da gripe suína sem perceber? O vírus pode ficar incubado e se manifestar posteriormente?
O principal sintoma da Influenza A (H1N1) é a febre. Se você não teve febre, provavelmente teve um resfriado. Os sintomas da gripe aparecem em até dez dias após a infecção.

- No meu estado, fala-se sobre a gripe, mas não explicam o que devemos fazer, quais são os procedimentos e quem procurar. A maioria dos óbitos é relativa a pessoas com menos de 60 anos. Será que essa imunização aplicada nos idosos teria ajudado na prevenção do vírus? Por que está tão difícil achar a vacina? Se ela estiver mais fácil do que imaginamos, por que esperar dos estrangeiros?
Até este momento, ainda não existe uma vacina. O processo de produção de uma vacina contra a gripe demora entre quatro e seis meses, pelo menos, e primeiro ela tem que ser testada em pessoas. Isso porque podem surgir efeitos colaterais inesperados. Ela pode não proteger adequadamente. Então, temos que ter segurança total de que a nova vacina vai proteger e não causar mais complicações. A expectativa é que, entre outubro e novembro, haja vacinas para serem usadas nos países do hemisfério norte, porque lá vai estar começando o inverno. O governo brasileiro está em contato com todos os laboratórios que estão trabalhando para ter uma vacina, já está perguntando o preço e ofertas de doses. O Instituto Butantan é responsável no Brasil por desenvolver as vacinas contra a gripe comum (sazonal) e estará à frente também do desenvolvimento da gripe contra a Influenza A (H1N1). A vacina a ser produzida no Brasil estará disponível no próximo ano. Além de desenvolver a vacina, o Ministério da Saúde avaliará, junto ao Butantan, a necessidade de comprar vacinas prontas de outros fabricantes.

- Não seria melhor se todos usássemos máscaras para proteção contra a nova gripe?
O protocolo para enfrentamento da influenza pandêmica em portos, aeroportos e fronteiras recomenda que viajantes que apresentem sinais e sintomas compatíveis com a definição de caso suspeito de doença respiratória aguda grave devem usar máscara cirúrgica desde o momento em que for identificada a suspeita da infecção até a chegada à unidade de referência. Caso não tenha sido possível isolar o viajante que apresenta sinais e sintomas da doença, os passageiros próximos a ele (duas fileiras anteriores, posteriores e as equivalentes laterais) devem receber máscara cirúrgica e utilizá-la durante todo o percurso.

- Fiquei gripada há duas semanas e depois descobri que estou com pneumonia. Estou me tratando em casa, mas tenho medo de complicações em relação à nova gripe. A minha pergunta é se posso ter essa gripe e o que devo fazer para que o meu quadro de saúde não se agrave.
Alguns cuidados básicos de higiene podem ser tomados para prevenir a doença, como lavar bem as mãos frequentemente com água e sabão, evitar tocar os olhos, boca e nariz após contato com superfícies, não compartilhar objetos de uso pessoal e cobrir a boca e o nariz com lenço descartável ao tossir ou espirrar. Se você tiver sintomas como febre repentina, tosse, dor de cabeça, dores musculares, dores nas articulações e coriza, procure um médico ou um serviço de saúde, como já se faz com a gripe comum. Qualquer pessoa que apresente sintomas de gripe deve procurar seu médico de confiança ou o serviço de saúde mais próximo, para receber o tratamento adequado. Nos casos de agravamento ou de pessoas que façam parte do grupo de risco, os pacientes serão encaminhados a um dos 68 hospitais de referência.

- Os médicos dizem que o tamiflu deve ser tomado nas primeiras 48 horas do começo da gripe. Mas ele está sendo administrado somente nos casos mais graves. Quer dizer que no começo da nova gripe não se toma remédio e fica passando o vírus a todo mundo até o estado se agravar. Como se toma o remédio dentro do prazo certo se somente é receitado depois de 48 horas? Acredito que há uma incoerência. E mesmo se a pessoa tem suspeita de gripe, o exame conclusivo demora para ficar pronto. Onde fica o prazo de 48 horas para tomar o remédio?
A utilização do medicamento fosfato de oseltamivir é indicada a pacientes com agravamento do estado de saúde nas primeiras 48 horas, desde o início dos sintomas, e as pessoas com maior risco de apresentar quadro clínico grave. Os demais terão os sintomas tratados de acordo com indicação médica. O objetivo é evitar o uso desnecessário e uma possível resistência ao medicamento, como já foi registrado no Reino Unido, Japão, Hong Kong e Canadá. É importante lembrar, também, que todas as pessoas que integram o grupo de risco para complicações de influenza precisam de avaliação e monitoramento clínico constante de seu médico, para indicação ou não de tratamento com o fosfato de oseltamivir [princípio ativo do tamiflu].


- Entre os casos das pessoas que pegaram a nova gripe, tem alguém que sarou?
A maioria dos pacientes que foram diagnosticados com a nova gripe já recebeu alta ou está em processo de recuperação.



A gripe em Minas Gerais

A gripe H1N1, popularmente chamada de gripe suína, pode estar relacionada a mais uma morte em Minas Gerais, que ainda não confirmou nenhum óbito causado pela doença, mas já investigava um, ocorrido em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. A última vítima sob investigação é um homem de 42 anos, que morreu sexta-feira em Sete Lagoas, na Região Central do estado. Com sintomas da doença, ele teve pneumonia dupla e não resistiu. Na quarta-feira, foi feita coleta de material para identificar o vírus influenza A (H1N1). O resultado do exame só ficará pronto no fim desta semana ou no começo da próxima.

As autoridades sanitárias estaduais também aguardam o laudo que dirá se a mulher de 27 anos de Betim morreu em consequência da nova gripe. A paciente foi internada sexta-feira, com vômitos e falta de ar. No sábado, ela teve pneumonia difusa e, na tarde de domingo, seu estado de saúde piorou, com problemas respiratórios agudos. Por falta de vaga no Hospital Eduardo de Menezes, a mulher permaneceu internada em Betim e morreu nessa segunda-feira. Somente daqui a nove dias o resultado do exame que comprovará se a morte tem relação com a doença será concluído.

Ambas as vítimas estão na faixa etária mais atingida pelo vírus A (H1N1). A afirmação vem do levantamento feito pelo Ministério da Saúde que aponta que as pessoas entre 20 e 49 anos são o alvo mais fácil da nova gripe. Do total de casos confirmados no país, que já passa de 1,5 mil, 63% são desse grupo.

Em comparação entre a gripe comum e a suína, o estudo revelou que de 25 de abril a 18 de julho deste ano foram notificados 8.328 casos suspeitos de algum tipo de gripe no país, com maior concentração nas regiões Sul e Sudeste, o que era esperado para essa estação do ano. Desse total, 1.566 (18,8%) foram confirmados para influenza A (H1N1) e 528 (6,34%) para influenza sazonal. Dos casos confirmados de gripe comum, 17% dos pacientes apresentaram dificuldade respiratória moderada ou grave. “Até o momento, esse índice é menor nos pacientes infectados pelo vírus H1N1: 14,2% apresentaram esse quadro”, informa o ministério.


O número cada vez mais alto de contaminações e a investigação das primeiras mortes em Minas Gerais aumentaram o temor da população, o que fez crescer a procura nos ambulatórios de referência em Belo Horizonte. A alta demanda é vista com preocupação pelos responsáveis pelos hospitais. Tanto que a direção do Hospital Eduardo de Menezes, onde o atendimento é voltado para moradores da Região Metropolitana de BH, pediu àqueles que estejam com sintomas da gripe para ligar antes para o 0800 283 2255.

O maior medo é de que a procura prejudique o atendimento de quem mais precisa de cuidados. “As pessoas estão vindo para cá de forma espontânea. Há quem esteja apenas com tosse e já vem para o Eduardo de Menezes. Isso não está certo, porque somos referência para os casos mais graves e complicados do influenza A (H1N1). Funcionamos como retaguarda. É preciso ligar para o 0800 e, caso a equipe achar necessário, o paciente será encaminhado a um dos hospitais. Na semana passada, atendíamos até 10 pacientes por dia; esta semana, estamos chegando a 30. Há equipes médicas que estão largando o serviço de madrugada”, reclama o diretor-geral do hospital, Paulo Sério Dias Araújo.

Gripe adia início das aulas em vários estados

A Secretaria Estadual de Educação do Rio Grande do Sul anunciou hoje o adiamento do retorno às aulas na rede de ensino no Estado. De acordo com a pasta, as aulas devem ser adiadas por 14 dias e recomeçar em 17 de agosto. O governo gaúcho também recomendou que o retorno dos alunos seja acompanhado pelas escolas municipais, privadas e universidades.

Ontem, o governo do Estado de São Paulo adiou, por conta da Influenza A (H1N1), o retorno das aulas na rede de ensino, que deveriam acontecer no próximo dia 3. Hoje foi a vez do Estado do Rio anunciar a prorrogação das férias escolares, até o próximo dia 10.

4 comentários:

Cathwillows disse...

Bora pra Buenos Aires! A gente pega a gripe logo, se trata, cura e fica imune! :P

Brincadeirinha!!
Quer dizer, em relação a gripe, em relação a Buenos Aires é sério!

blogdadeborahrajao disse...

Eu quero mesmo ir...mas, estarei trabalhando...Infelizmente,não poderei participar desse passeio.

Mas, boa viagem e aproveitem bem...e não se esqueça de levar a máscara antigripe,ok? beijos

as minhnas mulheres disse...

Apos o contagio ,quanto tempo demora para o infectado apresentar os sintomas e ate que chegue em um estado critico?

SondagensPT disse...

Já tomou ou pensa vir a tomar a vacina contra a gripe H1N1?

http://www.sondagenspt.net/sondagem551.html

SondagensPT.net - onde o teu voto conta