domingo, 9 de agosto de 2009

Balanço da gripe suína em Minas Gerais



Infelizmente, todos os dias aumenta o número de casos de morte provocada pela influenza A H1N1 em todo o país. Em Minas Gerais não é diferente. Veja o que diz esta reportagem divulgada hoje pelo www.uai.com.br :

Suspeitas de morte por gripe suína sobem para 16 em todo o estado

Flávia Ayer - Estado de Minas

Subiu para 16 o número de mortes suspeitas de gripe influenza A (H1N1) em Minas Gerais. Além Paraíba, na Zona da Mata, registrou a morte de um homem de 26 anos, sábado pela manhã, no Hospital São Salvador. Ele apresentava tosse, febre alta, coriza e dificuldade respiratória, sintomas típicos da doença. Natural de Cabo Frio, no Rio de Janeiro, ele era vendedor ambulante e estava na cidade, em companhia da mãe, desde quinta-feira, trabalhando na 39ª Exposição Agropecuária. O evento, já tradicional, vai até domingo e traz uma programação intensa de shows.

De acordo com o hospital, o paciente foi internado na sexta-feira pela manhã com fortes dores musculares, quadro de febre há oito dias e muita falta de ar, sendo isolado no Centro de Terapia Intensiva (CTI). Ele foi encaminhado ao hospital depois de se consultar com o pneumologista da cidade. Sábado, o vendedor acordou com confusão mental e grande agitação e teve uma parada cardíaca. Sua mãe, Erinete Machado, estava inconsolável e suplicava a chegada de uma equipe da Secretaria de Estado da Saúde (SES) para liberar o corpo. “Moro longe, até agora não liberaram a certidão de óbito e quero voltar para casa com meu filho.”

A SES enviou uma equipe de epidemiologistas ao município, a 380 quilômetros de Belo Horizonte, para exames pós-obito. A expectativa é que o resultado saia na próxima semana. Em Cabo Frio, o paciente, obeso e hipertenso, já havia procurado atendimento médico. A SES informou que, em Minas, ele não foi tratado com o Tamiflu, medicamento usado na gripe aviária e que já se mostrou eficiente no tratamento da suína, pelo fato de estar com sintomas há mais de 48 horas.

Além do exame do fluminense, outras 14 mortes com suposta contaminação do vírus influenza A (H1N1) estão sob investigação. A morte de um adolescente em Januária, no Norte do estado, foi notificada no município, mas ainda não contabilizada pela SES. O resultado dos exames são aguardados há mais de 10 dias. A promessa é que em 13 dias a Fundação Ezequiel Dias (Funed) passe a fazer as análises, em vez da Fundação Oswaldo Cruz. Com isso, os resultados devem ficar prontos em, no máximo, 48 horas. O balanço da SES divulgado ontem mostra Minas com 171 confirmações da doença, 548 casos suspeitos e 305 descartados.

UPAS

O movimento foi tranquilo nas unidades de pronto atendimento (UPAs) no primeiro fim de semana desde que passaram a receber, juntamente com os postos de saúde, casos suspeitos da nova gripe. Apesar de os centros permanecerem fechados, não houve grande procura pelas UPAs de pessoas com suspeita de contaminação pelo influenza A. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (SMSA), nas oito unidades foram diagnosticados 17 casos suspeitos da doença. Nove pacientes foram encaminhados ao Hospital das Clínicas (HC), centro de referência da gripe.

Internada há três dias na UPA Norte, no Bairro 1º de Maio, a dona de casa Graciela Aparecida da Silva, de 27 anos, foi transferida para o HC. Ela recebe soro desde quinta-feira e tem tosse, febre alta, além de dificuldade respiratória. “Quarta-feira retrasada estava sentido febre e dor de garganta. Os médicos da UPA me examinaram e me mandaram voltar para casa. Na quinta-feira, voltei a passar mal e, desde então, fiquei na UPA, aguardando vaga no HC”, afirma. Segundo a SMSA, Graciela ficou em observação desde quinta-feira e ontem, como apresentou piora, foi transferida para o hospital, que informou que apenas anteontem registrou lotação completa dos 24 leitos. De acordo com o HC/UFMG, em nenhum momento faltou vaga para pacientes com suspeita da gripe. Conforme balanço divulgado pelo hospital, ontem duas novas pacientes deram entrada na unidade. Uma delas é uma mulher de 30 anos, que tem quadro respiratório agravado. A outra, uma adolescente de 13 anos, está estável. Na sexta-feira, foram quatro novos pacientes, um homem, duas crianças e um bebê de 10 meses. Todos estão clinicamente estáveis. O HC/UFMG totaliza 20 pessoas internadas para investigação da influenza A, sendo 17 na enfermaria e três no CTI. No Hospital Eduardo de Menezes, no Barreiro, são 23 pessoas internadas, 18 na enfermaria e cinco no CTI.

Um comentário:

Paula disse...

Pode publicar..Hoje morre mais uma jovem de gripe suína em Cabo Frio, 25 anos..um absurdo isso!!!